sexta-feira, 13 de agosto de 2010

M. S. - Jesus, tu és o Cristo, Filho de Deus?
J. C. - Eu o sou, eu que falo contigo. Eu o sou, e vereis o Filho do homem assentado à direita do poder de Deus, e vindo sobre as nuvens do céu. (João 4:26 e Marcos 14:62)
M. S. - O que acontece a quem ouve a tua palavra?
J. C. - Na verdade, na verdade vos digo que quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna, e não entrará em condenação, mas passou da morte para a vida (João 5:24).
M. S. - O que mais ofereces a quem ouve a tua palavra?
J. C. - Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá; e todo aquele que vive, e crê em mim, nunca morrerá. Crês tu isto? (João 11:25-26).
M. S. - Quem vem a ti está mesmo garantido, não é?
J. C. - Todo o que o Pai me dá virá a mim; e o que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora. Porquanto a vontade daquele que me enviou é esta: que todo aquele que vê o Filho, e crê nele, tenha a vida eterna; e eu o ressuscitarei no último dia (João 6:37,40).
M. S. - E quem não crê em ti?
J. C. - ... Se não crerdes que eu sou, morrereis em vossos pecados. Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado (João 8:24; Marcos 16:16).
M. S. - Como tens uma cultura tão grande, uma vez que és apenas o filho de um carpinteiro?
J. C. - ... A minha doutrina não é minha, mas daquele que me enviou. Se alguém quiser fazer a vontade dele, pela mesma doutrina conhecerá se ela é de Deus, ou se eu falo de mim mesmo (João 7:16-17).
M. S. - Por que dizes que és a porta?
J. C. - Eu sou a porta; se alguém entrar por mim, salvar-se-á, e entrará, e sairá, e achará pastagens. O ladrão não vem senão a roubar, a matar, e a destruir; eu vim para que tenham vida, e a tenham com abundância (João 10:9-10).
M. S. - Tu és rei?
J. C. - ... Eu para isso nasci e para isso vim ao mundo, a fim de dar testemunho da verdade. Todo aquele que é da verdade ouve a minha voz (João 18:37).
M. S. - Que é a verdade?
J. C. - ... A palavra de Deus é a verdade. E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará (João 17:17 e 8:32).
M. S. - Por que temos de enfrentar tantas tribulações neste mundo?
J. C. - ... No mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo (João 16:33).
M. S. - Devemos propagar o teu evangelho?
J. C. - Convém que eu faça as obras daquele que me enviou enquanto é dia; a noite vem, quando ninguém pode trabalhar. Enquanto estou no mundo, sou a luz do mundo. ...Levantai os vossos olhos e vede as terras que já estão brancas para a ceifa. A seara é realmente grande, mas poucos os ceifeiros (João 9:4-5; 4:35 e Mateus 9:37)
M. S. - Sabemos que a salvação pessoal é um dom gratuito de Deus, outorgado pelo teu sacrifício na cruz. E as boas obras não contam?
J. C. - Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte; nem se acende a candeia e se coloca debaixo do alqueire, mas no velador, e dá luz a todos que estão na casa. Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus (Mateus 5:14-16).
M. S. - O que devemos fazer para nos tornarmos perfeitos?
J. C. - ...Se queres ser perfeito, vai, vende tudo o que tens e dá-o aos pobres, e terás um tesouro no céu; e vem, e segue-me (Mateus 19:21).
M. S. - Quais são os Teus mandamentos?
J. C. - ...Amarás o Senhor teu Deus de todo teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento. ...Amarás o teu próximo como a ti mesmo (Mateus 22:37,39).
M. S. - Devemos te confessar diante dos homens?
J. C. - ... Qualquer que me confessar diante dos homens, eu o confessarei diante de meu Pai, que está nos céus. Mas qualquer que me negar diante dos homens, eu o negarei também diante de meu Pai, que está nos céus (Mateus 10:32-33)
M. S. - Devemos te invocar nos momentos de aflição?
J. C. - Vinde a mim, todos, os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas (Mateus 11:28-29).
M. S. - Como é o reino dos céus?
J. C. - ...O reino dos céus é semelhante ao grão de mostarda que o homem, pegando nele, semeou no seu campo; o qual é, realmente, a menor de todas as sementes; mas, crescendo, é a maior das plantas, e faz-se uma árvore, de sorte que vêm as aves do céu, e se aninham nos seus ramos. Também o reino dos céus é semelhante a um tesouro escondido num campo, que um homem achou e escondeu; e, pelo gozo dele, vai, vende tudo quanto tem, e compra aquele campo. Outrossim, o reino dos céus é semelhante ao homem, negociante, que busca boas pérolas; e, encontrando uma pérola de grande valor, foi, vendeu tudo quanto tinha, e comprou-a (Mateus 13:31-32 e 44-46)
M. S. - Quem crê em Ti e obedece os Teus mandamentos para onde vai depois da morte?
J. C. - Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito. Vou preparar-vos lugar. E quando eu for, e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também (João 14:2-3).
M. S. - Por que amas tanto os pecadores?
J. C. - ... Os sãos não necessitam de médico, mas, sim, os que estão doentes; eu não vim chamar os justos, mas, sim, os pecadores ao arrependimento. (Marcos 2:17)
M. S. - Devemos nos preocupar com o dia de amanhã?
J. C. - Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas. Não vos inquieteis, pois, pelo dia de amanhã, porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal (Mateus 6:33-34).
M. S. - Por que fazias tantas curas no sábado mesmo sabendo que isso escandalizava os judeus?
J. C. - ...O sábado foi feito por causa do homem, e não o homem por causa do sábado. ...Meu Pai trabalha até agora, e eu trabalho também (Marcos 2:27 e João 5:17).
M. S. - Há tantas pessoas escrevendo livros, até eu, dando conselhos espirituais e há tantas religiões e seitas nascendo e crescendo nestes últimos tempos, todas prometendo salvação. Em quem devemos confiar?
J. C. - ... Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim. Acautelai-vos, porém, dos falsos profetas, que vêm até vós vestidos como ovelhas, mas, interiormente, são lobos devoradores. Por seus frutos os conhecereis. Porventura colhem-se uvas dos espinheiros, ou figos dos abrolhos? Assim, toda a árvore boa produz bons frutos, e toda a árvore má produz frutos maus. Não pode a árvore boa dar maus frutos; nem a árvore má dar frutos bons. Toda a árvore que não dá bom fruto corta-se e lança-se no fogo (João 14:6; Mateus 7:15-19).
M. S. - É certo julgar os outros?
J. C. - NÃO julgueis, para que não sejais julgados. Porque com o juízo com que julgardes sereis julgados, e com a medida com que tiverdes medido vos hão de medir a vós. E por que reparas tu no argueiro que está no olho do teu irmão, e não vês a trave que está no teu olho? (Mateus 7:1-3)
M. S. - É proibido jurar?
J. C. - Eu, ...vos digo que de maneira nenhuma jureis; nem pelo céu, porque é o trono de Deus; nem pela terra, porque é o escabelo de seus pés; nem por Jerusalém, porque é a cidade do grande Rei; nem jurarás pela tua cabeça, porque não podes tornar um cabelo branco ou preto. Seja, porém, o vosso falar: Sim, sim; Não, não; porque o que passa disto é de procedência maligna (Mateus 5:34-37).
M. S. - Devemos perdoar e amar os nossos inimigos?
J. C. - ... Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem; para que sejais filhos do vosso Pai que está nos céus; porque faz que o seu sol se levante sobre maus e bons, e a chuva desça sobre justos e injustos. Se, porém, não perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai vos não perdoará as vossas ofensas (Mateus 5: 44-45 e 6:15).
M. S. - Chegamos ao final desta entrevista. Tens mais alguma coisa a declarar?
J. C. - Um novo mandamento vos dou: Que vos ameis uns aos outros; como eu vos amei a vós, que também vós uns aos outros vos ameis. Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros (João 13:34-35).